logo_smart
iconefaceiconeutubeinonelinkedin iconeflickr
 
 
 
Categorias: Resiliência e Segurança.
FacebookTwitterWhatsAppLinkedInCopy LinkPrintShare
SC E_gov

Estima-se que existam mais de 300 iniciativas de E-Governo. As redes sem fio e os smartphones são fatores importantes para levar os benefícios destes programas para a maioria da população. FOTO: Divulgação

O conceito de E-Governo é uma novidade no relacionamento entre as administrações públicas e seus cidadãos, cujo objetivo é de aumentar a transparência, a colaboração, o acesso às informações, a interação e a participação da população e criar uma sociedade mais inclusiva, fomentar a igualdade e melhorar a qualidade de vida. De acordo com o relatório “E-Governo na América Latina”, divulgado pela 5G Americas, a busca pela transparência na América Latina representa um forte impulso e uma oportunidade para este tipo de iniciativa.

O relatório revela que 15 países da América Latina e do Caribe são membros da Aliança para o Governo Aberto (AGA), uma iniciativa multilateral que pretende ampliar o compromisso de cada estado com as iniciativas de Governo Aberto. De acordo com o documento “Plano de governo aberto – Um mapa para governos regionais” publicado pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), em 2013 já existiam 328 iniciativas de E-Governo na região.

As várias iniciativas de E-Governo podem ser implementadas por administrações nacionais ou em outros níveis de governo, por exemplo, pelas províncias, estados e municípios, e oferecem vários benefícios para a população e para a sociedade. Esses benefícios, entre outros, incluem mais transparência em ações do governo, acesso mais fácil às informações e processos simplificados para a população, economizando tempo e dinheiro.

O estudo da 5G Americas destaca o fato de que a banda larga sem fio desempenha um papel chave na expansão desse tipo de iniciativa para alcançar o maior número possível de pessoas. De um lado, a tecnologia oferecer acesso em zonas remotas, rurais ou que apresentam dificuldades de cabeamento, e é capaz de ampliar a conectividade com mais facilidade e de maneira mais eficiente. Por outro lado, o número de smartphones que já existe nessa região já representa uma oportunidade para alcançar ainda mais pessoas através dos aplicativos.

Por esse motivo, a 5G Americas acredita que a adoção de políticas que facilitam a expansão da banda larga sem fio, aumentando a disponibilidade de espectro para esse tipo de serviço e reduzindo a burocracia na implementação de infraestrutura, será fundamental para acompanhar o avanço do E-Governo na região. Da mesma maneira, a adoção de políticas públicas que aumentam a penetração de smartphones e estratégias para massificar a criação de aplicativos será chave para levar os benefícios do E-Governo ao maior número possível de pessoas.

O documento “E-Governo na América Latina” é uma publicação da 5G Americas e faz parte da Série de Estudos de TIC para o Desenvolvimento. O relatório pode ser baixado aqui.

P

Por 5G Americas
 
 

Banda larga é fundamental para disseminar os benefícios do E-Governo na América Latina

FacebookTwitterWhatsAppLinkedInCopy LinkPrintShare
SC E_gov

Estima-se que existam mais de 300 iniciativas de E-Governo. As redes sem fio e os smartphones são fatores importantes para levar os benefícios destes programas para a maioria da população. FOTO: Divulgação

O conceito de E-Governo é uma novidade no relacionamento entre as administrações públicas e seus cidadãos, cujo objetivo é de aumentar a transparência, a colaboração, o acesso às informações, a interação e a participação da população e criar uma sociedade mais inclusiva, fomentar a igualdade e melhorar a qualidade de vida. De acordo com o relatório “E-Governo na América Latina”, divulgado pela 5G Americas, a busca pela transparência na América Latina representa um forte impulso e uma oportunidade para este tipo de iniciativa.

O relatório revela que 15 países da América Latina e do Caribe são membros da Aliança para o Governo Aberto (AGA), uma iniciativa multilateral que pretende ampliar o compromisso de cada estado com as iniciativas de Governo Aberto. De acordo com o documento “Plano de governo aberto – Um mapa para governos regionais” publicado pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), em 2013 já existiam 328 iniciativas de E-Governo na região.

As várias iniciativas de E-Governo podem ser implementadas por administrações nacionais ou em outros níveis de governo, por exemplo, pelas províncias, estados e municípios, e oferecem vários benefícios para a população e para a sociedade. Esses benefícios, entre outros, incluem mais transparência em ações do governo, acesso mais fácil às informações e processos simplificados para a população, economizando tempo e dinheiro.

O estudo da 5G Americas destaca o fato de que a banda larga sem fio desempenha um papel chave na expansão desse tipo de iniciativa para alcançar o maior número possível de pessoas. De um lado, a tecnologia oferecer acesso em zonas remotas, rurais ou que apresentam dificuldades de cabeamento, e é capaz de ampliar a conectividade com mais facilidade e de maneira mais eficiente. Por outro lado, o número de smartphones que já existe nessa região já representa uma oportunidade para alcançar ainda mais pessoas através dos aplicativos.

Por esse motivo, a 5G Americas acredita que a adoção de políticas que facilitam a expansão da banda larga sem fio, aumentando a disponibilidade de espectro para esse tipo de serviço e reduzindo a burocracia na implementação de infraestrutura, será fundamental para acompanhar o avanço do E-Governo na região. Da mesma maneira, a adoção de políticas públicas que aumentam a penetração de smartphones e estratégias para massificar a criação de aplicativos será chave para levar os benefícios do E-Governo ao maior número possível de pessoas.

O documento “E-Governo na América Latina” é uma publicação da 5G Americas e faz parte da Série de Estudos de TIC para o Desenvolvimento. O relatório pode ser baixado aqui.

P

Por 5G Americas
Categorias: Resiliência e Segurança.
 

Leia também