logo_smart
iconefaceiconeutubeinonelinkedin iconeflickr
 
 
 
Categorias: Sociedades Inteligêntes.
FacebookTwitterWhatsAppLinkedInCopy LinkPrintShare

Outubro foi o mês mais seco em 37 anos no Distrito Federal. Foto: Tony Winston/Agência Brasília

A população do Distrito Federal tem enfrentado a maior crise hídrica da sua história, chegando a encarar racionamentos de água de até dois dias seguidos. Os dois reservatórios que abastecem a região estão atuando com menos de 30% do seu volume útil.

Desde o final de setembro, o reservatório Santa Maria opera com menos de 30% de volume útil. Já o reservatório Descoberto, que abastece 2 em cada 3 imóveis do Distrito Federal, já chegou a atingir níveis críticos de 5,7% de volume útil no mês de novembro.

Com os níveis alarmantes dos reservatórios, a população começou a desenvolver suas próprias soluções para combater a falta de água. Com iniciativas caseiras, os brasilienses têm utilizado iniciativas sustentáveis para tentar driblar a crise.

 

Crise Hídrica - Brasília - Água - Distrito Federal - DF - Descoberto

Crise Hídrica - Brasília - Água - Distrito Federal - DF - Santa Maria

 

ECONOLAV

Desenvolvido pelo bombeiro militar Josemar Jesus de Souza, o Econolav é um dispositivo que visa reaproveitar a água das máquinas de lavar roupa.

O dispositivo armazena em um reservatório a água do segundo ciclo de lavagem, que normalmente seria descartada, e esse volume retorna ao aparelho de forma automática, ao iniciar uma nova operação. De acordo com criador, esse sistema possibilita a economia de 50% da água utilizada no processo de lavagem.

Em entrevista para o portal de notícias G1, Josemar afirma que o sistema passou por cinco revisões e já está instalado em quatro residências.

“Muitas pessoas costumam pegar a água do amaciante para reusá-la nas etapas seguintes. A placa de circuito e os acessórios que desenvolvi automatizam esse processo que já é feito de forma manual. Além da conta de água mais barata e da economia, a rotina também muda. O sistema tira a preocupação de quem tem que lidar e até mesmo levantar um reservatório de até 100 litros.” – Josemar Jesus de Souza.

Crise Hídrica - Brasília - Água - Econolav

Bombeiro também é técnico em eletrônica e desenvolveu o sistema para ajudar na economia de água durante ciclo da máquina de lavar roupas. (Foto: Arquivo pessoal/G1 )

 

Stillabunt – O Hidrômetro Inteligente

Além do reaproveitamento da água, outra solução encontrada foi a administração/gestão do consumo de água da população.

Desenvolvido pelos estudantes de engenharia da computação Eduardo Calil e Matheus Veleci, o Stillabunt é capaz de armazenar dados sobre a qualidade e o consumo da água em residências e prédios comerciais.

Ele funciona como um hidrômetro inteligente, em que se é instalado um equipamento próximo ao cano das casas para medir o fluxo, a temperatura e o pH da água. A partir disso, uma placa eletrônica wireless, recebe os dados e os envia para uma plataforma na internet.

Os criadores explicam que com esses dados é possível calcular a quantidade de microrganismos presentes na água e se há algum risco de contaminação. A expectativa é que o Stillabunt também disponibilize informações sobre o racionamento no DF e apresente dicas para economia na utilização dos recursos hídricos.

Crise Hídrica - Brasília - Água - Hidrômetro Inteligente

Dispositivo desenvolvido por Eduardo Calil e Matheus Veleci renderam premiações aos estudantes da UnB. (Foto: Júlio Minasi/Secom UnB)

 
 

Brasilienses desenvolvem tecnologias alternativas para enfrentar crise hídrica

FacebookTwitterWhatsAppLinkedInCopy LinkPrintShare

Outubro foi o mês mais seco em 37 anos no Distrito Federal. Foto: Tony Winston/Agência Brasília

A população do Distrito Federal tem enfrentado a maior crise hídrica da sua história, chegando a encarar racionamentos de água de até dois dias seguidos. Os dois reservatórios que abastecem a região estão atuando com menos de 30% do seu volume útil.

Desde o final de setembro, o reservatório Santa Maria opera com menos de 30% de volume útil. Já o reservatório Descoberto, que abastece 2 em cada 3 imóveis do Distrito Federal, já chegou a atingir níveis críticos de 5,7% de volume útil no mês de novembro.

Com os níveis alarmantes dos reservatórios, a população começou a desenvolver suas próprias soluções para combater a falta de água. Com iniciativas caseiras, os brasilienses têm utilizado iniciativas sustentáveis para tentar driblar a crise.

 

Crise Hídrica - Brasília - Água - Distrito Federal - DF - Descoberto

Crise Hídrica - Brasília - Água - Distrito Federal - DF - Santa Maria

 

ECONOLAV

Desenvolvido pelo bombeiro militar Josemar Jesus de Souza, o Econolav é um dispositivo que visa reaproveitar a água das máquinas de lavar roupa.

O dispositivo armazena em um reservatório a água do segundo ciclo de lavagem, que normalmente seria descartada, e esse volume retorna ao aparelho de forma automática, ao iniciar uma nova operação. De acordo com criador, esse sistema possibilita a economia de 50% da água utilizada no processo de lavagem.

Em entrevista para o portal de notícias G1, Josemar afirma que o sistema passou por cinco revisões e já está instalado em quatro residências.

“Muitas pessoas costumam pegar a água do amaciante para reusá-la nas etapas seguintes. A placa de circuito e os acessórios que desenvolvi automatizam esse processo que já é feito de forma manual. Além da conta de água mais barata e da economia, a rotina também muda. O sistema tira a preocupação de quem tem que lidar e até mesmo levantar um reservatório de até 100 litros.” – Josemar Jesus de Souza.

Crise Hídrica - Brasília - Água - Econolav

Bombeiro também é técnico em eletrônica e desenvolveu o sistema para ajudar na economia de água durante ciclo da máquina de lavar roupas. (Foto: Arquivo pessoal/G1 )

 

Stillabunt – O Hidrômetro Inteligente

Além do reaproveitamento da água, outra solução encontrada foi a administração/gestão do consumo de água da população.

Desenvolvido pelos estudantes de engenharia da computação Eduardo Calil e Matheus Veleci, o Stillabunt é capaz de armazenar dados sobre a qualidade e o consumo da água em residências e prédios comerciais.

Ele funciona como um hidrômetro inteligente, em que se é instalado um equipamento próximo ao cano das casas para medir o fluxo, a temperatura e o pH da água. A partir disso, uma placa eletrônica wireless, recebe os dados e os envia para uma plataforma na internet.

Os criadores explicam que com esses dados é possível calcular a quantidade de microrganismos presentes na água e se há algum risco de contaminação. A expectativa é que o Stillabunt também disponibilize informações sobre o racionamento no DF e apresente dicas para economia na utilização dos recursos hídricos.

Crise Hídrica - Brasília - Água - Hidrômetro Inteligente

Dispositivo desenvolvido por Eduardo Calil e Matheus Veleci renderam premiações aos estudantes da UnB. (Foto: Júlio Minasi/Secom UnB)

Categorias: Sociedades Inteligêntes.
 

Leia também