logo_smart
iconefaceiconeutubeinonelinkedin iconeflickr
 
 
 
Categorias: Mobilidade Urbana.
FacebookTwitterWhatsAppLinkedInCopy LinkPrintShare

Energia pode ser usada para alimentar as luzes da rua e um sistema de derretimento da neve na estrada, além de fornecer energia às estações de carregamento para veículos elétricos.

 

A China inaugurou  uma “estrada solar” capaz de absorver luz do sol para gerar energia elétrica para transporte público. A área se estende por 2 km da estrada e é composta por três camadas: concreto transparente na parte superior, painéis fotovoltaicos no meio e isolamento na parte inferior. O trecho também conta com duas pistas e uma linha de emergência.

A primeira “estrada solar” da China foi inaugurada em Jinan, capital da província de Shandong. O trecho “pode converter a luz solar em eletricidade e transferi-la diretamente para a rede elétrica”, explica a agência de notícias estatal People’s Daily. A via expressa poderia, em um ano, gerar 1 milhão de kWh de eletricidade, que serão usados para alimentar as luzes da rua e um sistema de derretimento da neve na estrada. Outra aplicação é fornecer energia às estações de carregamento para veículos elétricos.

O custo da estrada solar é cerca de 3.000 yuan (R$ 1.500) por metro quadrado, significativamente maior do que o asfalto comum, entretanto, Zhang Hongchao, especialista em engenharia de transporte da Universidade de Tongji, diz à CCTV que esta via expressa pode lidar com 10 vezes mais pressão que o asfalto comum. Ao todo, o projeto custou cerca de R$ 8,5 milhões.

Além da China, a França e os Países Baixos também já possuem estradas e ciclovias com painéis solares embutidos. No final de 2016, a França inaugurou um trecho de estrada com painéis solares. Localizada na vila de Tourouvre-au-Perche, ela tem 1 km de extensão e 2.800 m² de área. O projeto custou € 5 milhões (cerca de R$ 17,5 milhões) e permanecerá em testes até o final de 2018.

Por: Olhar Digital / Tecnoblog / Quartz

 
 

China inaugura estrada que absorve luz do sol para gerar energia

FacebookTwitterWhatsAppLinkedInCopy LinkPrintShare

Energia pode ser usada para alimentar as luzes da rua e um sistema de derretimento da neve na estrada, além de fornecer energia às estações de carregamento para veículos elétricos.

 

A China inaugurou  uma “estrada solar” capaz de absorver luz do sol para gerar energia elétrica para transporte público. A área se estende por 2 km da estrada e é composta por três camadas: concreto transparente na parte superior, painéis fotovoltaicos no meio e isolamento na parte inferior. O trecho também conta com duas pistas e uma linha de emergência.

A primeira “estrada solar” da China foi inaugurada em Jinan, capital da província de Shandong. O trecho “pode converter a luz solar em eletricidade e transferi-la diretamente para a rede elétrica”, explica a agência de notícias estatal People’s Daily. A via expressa poderia, em um ano, gerar 1 milhão de kWh de eletricidade, que serão usados para alimentar as luzes da rua e um sistema de derretimento da neve na estrada. Outra aplicação é fornecer energia às estações de carregamento para veículos elétricos.

O custo da estrada solar é cerca de 3.000 yuan (R$ 1.500) por metro quadrado, significativamente maior do que o asfalto comum, entretanto, Zhang Hongchao, especialista em engenharia de transporte da Universidade de Tongji, diz à CCTV que esta via expressa pode lidar com 10 vezes mais pressão que o asfalto comum. Ao todo, o projeto custou cerca de R$ 8,5 milhões.

Além da China, a França e os Países Baixos também já possuem estradas e ciclovias com painéis solares embutidos. No final de 2016, a França inaugurou um trecho de estrada com painéis solares. Localizada na vila de Tourouvre-au-Perche, ela tem 1 km de extensão e 2.800 m² de área. O projeto custou € 5 milhões (cerca de R$ 17,5 milhões) e permanecerá em testes até o final de 2018.

Por: Olhar Digital / Tecnoblog / Quartz

Categorias: Mobilidade Urbana.
 

Leia também