logo_smart
iconefaceiconeutubeinonelinkedin iconeflickr
 
 
 
Categorias: Mobilidade Urbana.
FacebookTwitterWhatsAppLinkedInCopy LinkPrintShare
hitech

Foto: Hitech Electric

 

Hitech Electric começa a vender os veículos por valores bastantes chamativos para um automóvel elétrico: R$ 44.890 (e.coTech2) e R$ 49.890 (e.coTech4). A dupla não chega só. Há ainda dois modelos de caminhão leve elétrico, o e.coCargo (R$ 56.990) e o e.coTruck (R$ 59.990).

Os modelos são desenvolvidos pelo grupo Aoxin New Energy, uma estatal que é a principal fornecedora de caminhões da China. As novidades estarão no showroom de revendedores em algumas cidades do Brasil, como Curitiba, Cascavel e São Paulo, a partir da primeira semana de julho de 2017. Por enquanto, as vendas ocorrem apenas para B2B (empresas). “Ainda estamos credenciando revendedores, com a ideia de ampliar os braços para outros estados”, diz Rodrigo Contin, 34 anos, fundador do negócio em 2016.

Segundo a Hitech Electric,a empresa tem a vantagem de ser a primeira companhia brasileira a investir em carros elétricos para o grande público – com exceção das próprias montadoras. Para ele, será um enorme desafio abrir este mercado e torná-lo viável.

A prefeitura de Curitiba e a Itaipu Binacional fizeram uma parceria com a Renault e utilizam o quadriciclo elétrico Twizy em ações internas. Recentemente a seguradora Porto Seguro adquiriu 16 unidades do modelo para atendimentos a sinistros pelas ruas de São Paulo.

Gasto de R$ 4,50 por recarga

Os carros da Hitech são de baixa performance, com velocidade máxima entre 50 e 60 km/h. A autonomia alcança 120 km rodando com média de 35 km/h. Há a opção de modelos com duas ou quatro portas, para levar dois ou quatro passageiros.

No Paraná, o custo o reabastecimento elétrico é de R$ 4,50 (referência Curitiba) e pode ser em qualquer tomada comum – os veículos são bivolt. Até o fim do ano,  a startup de Pinhais pretende trazer o modelo e-go, que será capaz de rodar por 350 km com uma recarga e atingir 140 km/h.

A economia média anual em combustível pode chegar a R$ 10mil e o retorno do investimento ocorre em 36 meses, garante Contin, que é engenheiro mecânico e chefe de equipe da Hitech Racing de Fórmula 3 desde 2009.

Veja aqui a matéria completa.

 
 

Empresa paranaense começa a vender carros elétricos com preço de popular

FacebookTwitterWhatsAppLinkedInCopy LinkPrintShare
hitech

Foto: Hitech Electric

 

Hitech Electric começa a vender os veículos por valores bastantes chamativos para um automóvel elétrico: R$ 44.890 (e.coTech2) e R$ 49.890 (e.coTech4). A dupla não chega só. Há ainda dois modelos de caminhão leve elétrico, o e.coCargo (R$ 56.990) e o e.coTruck (R$ 59.990).

Os modelos são desenvolvidos pelo grupo Aoxin New Energy, uma estatal que é a principal fornecedora de caminhões da China. As novidades estarão no showroom de revendedores em algumas cidades do Brasil, como Curitiba, Cascavel e São Paulo, a partir da primeira semana de julho de 2017. Por enquanto, as vendas ocorrem apenas para B2B (empresas). “Ainda estamos credenciando revendedores, com a ideia de ampliar os braços para outros estados”, diz Rodrigo Contin, 34 anos, fundador do negócio em 2016.

Segundo a Hitech Electric,a empresa tem a vantagem de ser a primeira companhia brasileira a investir em carros elétricos para o grande público – com exceção das próprias montadoras. Para ele, será um enorme desafio abrir este mercado e torná-lo viável.

A prefeitura de Curitiba e a Itaipu Binacional fizeram uma parceria com a Renault e utilizam o quadriciclo elétrico Twizy em ações internas. Recentemente a seguradora Porto Seguro adquiriu 16 unidades do modelo para atendimentos a sinistros pelas ruas de São Paulo.

Gasto de R$ 4,50 por recarga

Os carros da Hitech são de baixa performance, com velocidade máxima entre 50 e 60 km/h. A autonomia alcança 120 km rodando com média de 35 km/h. Há a opção de modelos com duas ou quatro portas, para levar dois ou quatro passageiros.

No Paraná, o custo o reabastecimento elétrico é de R$ 4,50 (referência Curitiba) e pode ser em qualquer tomada comum – os veículos são bivolt. Até o fim do ano,  a startup de Pinhais pretende trazer o modelo e-go, que será capaz de rodar por 350 km com uma recarga e atingir 140 km/h.

A economia média anual em combustível pode chegar a R$ 10mil e o retorno do investimento ocorre em 36 meses, garante Contin, que é engenheiro mecânico e chefe de equipe da Hitech Racing de Fórmula 3 desde 2009.

Veja aqui a matéria completa.

Categorias: Mobilidade Urbana.
 

Leia também