logo_smart
iconefaceiconeutubeinonelinkedin iconeflickr
 
 
 
Categorias: Cidades colaborativas e sustentáveis.
FacebookTwitterWhatsAppLinkedInCopy LinkPrintShare

Anualmente, são investidos mais de $ 1 trilhão em negócios sustentáveis.

Com o passar dos anos, os impactos ambientais vêm se tornando irreparáveis e os recursos cada vez mais escassos. Meio a esse cenário, as iniciativas sustentáveis (ou “iniciativas verdes”) têm ganhado cada vez mais espaço no mundo dos negócios.

Segundo o relatório do International Finance Corporation (IFC), instituição membro do Banco Mundial, levando em conta a análise de 21 países em desenvolvimento, existe o potencial de gerar US$ 23 trilhões até 2030, caso eles cumpram o Acordo de Paris, que prevê a redução nas emissões de gases de efeito estufa no planeta. De forma geral, os países podem contribuir com a preservação do meio ambiente e lucrar ao mesmo tempo.

O relatório também aponta que as empresas estão investindo em soluções inovadoras para reduzir as emissões de gases de efeito estufa, obtendo lucros com energia renovável, agricultura inteligente para o clima (CSA), edifícios verdes e transportes sustentáveis; gerando empregos e tornando as cidades mais limpas, mais saudáveis ​​e resilientes.

Ainda segundo o levantamento, anualmente, são investidos mais de $ 1 trilhão em negócios que envolvem soluções climáticas. A combinação de mercados para energias renováveis ($297 bilhões), armazenamento de energia (US$ 2,5 bilhões), Green Buildings (US$ 388 bilhões), transporte urbano inteligente (US$ 288 bilhões), reuso da água (US$ 23 bilhões) e gestão de lixo (US$160 bilhões) somam mais de US$ 1,1 trilhão em investimentos. A Bloomberg New Energy Finance projeta que serão investidos mais US$ 6 trilhões em energia eólica e solar até o ano de 2040.

 

Brasil Sustentável

O Brasil é um dos países emergentes que mais investe em energias renováveis, registrando um crescimento de 30% no setor em 10 anos. Só a geração de energia solar cresceu cerca de 70% em dois anos, e o Brasil ainda prevê a construção e 287 novos parques eólicos até 2020 para a geração de energia limpa e renovável.

O processo de universalização do serviço de saneamento básico no Brasil traria mais de R$ 537 bilhões ao país, considerando que os ganhos gerados com a redução dos custos com a saúde, aumento da produtividade do trabalho e a renda gerada pela valorização imobiliária, turismo, investimentos e pelo aumento de operação superariam os custos de investimento e aumento de despesas no setor.

Segundo o Panorama de Resíduos Sólidos, o mercado de limpeza urbana no Brasil movimenta mais de R$ 27 bilhões por ano e gera mais de 300 mil vagas de trabalho. Entretanto, mais de 30 milhões de toneladas de resíduos por ano ainda possuem destinação inadequada e mais de 1.500 municípios ainda utilizam os lixões como destinação final, deixando uma porta aberta para o investimento em gestão de resíduos no país.

O Brasil também conta com uma lei de preservação do meio ambiente. A Política Nacional do Meio Ambiente tem como objetivo a preservação, melhoria e recuperação da qualidade ambiental do país, juntamente, outras leis como a Política Nacional de Resíduos Sólidos, a Política Nacional do Saneamento Básico e a Política Nacional de Mobilidade Urbana, também pregam princípios semelhantes, fazendo com que as cidades tomem as iniciativas sustentáveis como um dos pilares para seu desenvolvimento.

 
 

Iniciativas sustentáveis atraem trilhões em investimentos, aponta relatório

FacebookTwitterWhatsAppLinkedInCopy LinkPrintShare

Anualmente, são investidos mais de $ 1 trilhão em negócios sustentáveis.

Com o passar dos anos, os impactos ambientais vêm se tornando irreparáveis e os recursos cada vez mais escassos. Meio a esse cenário, as iniciativas sustentáveis (ou “iniciativas verdes”) têm ganhado cada vez mais espaço no mundo dos negócios.

Segundo o relatório do International Finance Corporation (IFC), instituição membro do Banco Mundial, levando em conta a análise de 21 países em desenvolvimento, existe o potencial de gerar US$ 23 trilhões até 2030, caso eles cumpram o Acordo de Paris, que prevê a redução nas emissões de gases de efeito estufa no planeta. De forma geral, os países podem contribuir com a preservação do meio ambiente e lucrar ao mesmo tempo.

O relatório também aponta que as empresas estão investindo em soluções inovadoras para reduzir as emissões de gases de efeito estufa, obtendo lucros com energia renovável, agricultura inteligente para o clima (CSA), edifícios verdes e transportes sustentáveis; gerando empregos e tornando as cidades mais limpas, mais saudáveis ​​e resilientes.

Ainda segundo o levantamento, anualmente, são investidos mais de $ 1 trilhão em negócios que envolvem soluções climáticas. A combinação de mercados para energias renováveis ($297 bilhões), armazenamento de energia (US$ 2,5 bilhões), Green Buildings (US$ 388 bilhões), transporte urbano inteligente (US$ 288 bilhões), reuso da água (US$ 23 bilhões) e gestão de lixo (US$160 bilhões) somam mais de US$ 1,1 trilhão em investimentos. A Bloomberg New Energy Finance projeta que serão investidos mais US$ 6 trilhões em energia eólica e solar até o ano de 2040.

 

Brasil Sustentável

O Brasil é um dos países emergentes que mais investe em energias renováveis, registrando um crescimento de 30% no setor em 10 anos. Só a geração de energia solar cresceu cerca de 70% em dois anos, e o Brasil ainda prevê a construção e 287 novos parques eólicos até 2020 para a geração de energia limpa e renovável.

O processo de universalização do serviço de saneamento básico no Brasil traria mais de R$ 537 bilhões ao país, considerando que os ganhos gerados com a redução dos custos com a saúde, aumento da produtividade do trabalho e a renda gerada pela valorização imobiliária, turismo, investimentos e pelo aumento de operação superariam os custos de investimento e aumento de despesas no setor.

Segundo o Panorama de Resíduos Sólidos, o mercado de limpeza urbana no Brasil movimenta mais de R$ 27 bilhões por ano e gera mais de 300 mil vagas de trabalho. Entretanto, mais de 30 milhões de toneladas de resíduos por ano ainda possuem destinação inadequada e mais de 1.500 municípios ainda utilizam os lixões como destinação final, deixando uma porta aberta para o investimento em gestão de resíduos no país.

O Brasil também conta com uma lei de preservação do meio ambiente. A Política Nacional do Meio Ambiente tem como objetivo a preservação, melhoria e recuperação da qualidade ambiental do país, juntamente, outras leis como a Política Nacional de Resíduos Sólidos, a Política Nacional do Saneamento Básico e a Política Nacional de Mobilidade Urbana, também pregam princípios semelhantes, fazendo com que as cidades tomem as iniciativas sustentáveis como um dos pilares para seu desenvolvimento.

Categorias: Cidades colaborativas e sustentáveis.
 

Leia também