logo_smart
iconefaceiconeutubeinonelinkedin iconeflickr
 
 
 
Categorias: Energia.
FacebookTwitterWhatsAppLinkedInCopy LinkPrintShare

Usina conta com 1.240 placas solares e pretende gerar uma economia de 60%. Foto: Reprodução

 

O SESC Pantanal, no Mato Grosso, está aderindo ao uso de energia renovável. A primeira usina solar do Pantanal foi instalada em um hotel, em comemoração aos 20 anos do empreendimento. A expectativa é que ela consiga gerar uma economia em torno de 60%, além de contribuir com meio ambiente.

A usina está abrigada no Recanto do Pescador numa área de 28.650 metros quadrados, localizada em Poconé. Planejado em plataforma suspensa ante o regime das cheias na região, o projeto de sistema de geração fotovoltaica consiste em um importante marco de sustentabilidade. A usina abastecerá um dos principais pontos turísticos mato-grossenses, o Hotel Sesc Porto Cercado. Christiane Caetano Rodrigues, supervisora do SESC Pantanal reforça a importância da sustentabilidade e da preocupação com meio ambiente.

“A usina vai gerar energia, a energia vai ser jogada na rede da Energisa e deve vir como desconto na nossa conta. Ela vai gerar 320 Kva (quilovoltampere), o nosso consumo hoje é em torno de 500 Kva, isso significa uma economia em 60% do consumo” – Christiane Rodrigues, Supervisora do SESC Pantanal.

Christiane explica que o hotel já utiliza energia para aquecimento da água do chuveiro e nos postos de proteção ambiental na reserva. “Ter uma usina é inovador e com a quantidade de energia que gera. Estamos numa região com muito sol e a utilização da energia solar é sustentável”, frisa.

A usina conta com 1.240 placas que juntas tem capacidade instalada de 300 kW/h e produção mensal de 49.500 kW/h, equivale ao consumo de 309 famílias de até quatro pessoas no decorrer de um mês. A ideia é que o hotel se torne modelo para o turismo sustentável, pois sua gestão contribui de diversas maneiras à sustentabilidade ambiental. Além do uso da energia renovável, a unidade também faz o tratamento de água, esgoto e resíduos sólidos, compostagem do lixo orgânico, que vira adubo e é utilizado na horta cultivada dentro das dependências do hotel.

O projeto teve início em 2016 e toda implantação da usina é licenciada pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente (SEMA).

O cuidado com a preservação do bioma pantaneiro resultou num Relatório Ambiental Simplificado (RAS) e deste documento foi estratificado o Plano de Controle Ambiental (PCA) da usina fotovoltaica, que inclui quatro programas ambientais visando mitigar impactos causados pelo empreendimento. Sesc Pantanal é considerado polo de referência socioambiental capitaneado pela Reserva Particular de Patrimônio Natural (RPPN), com seus 108 mil hectares de área preservada.

“O Plano de Controle Ambiental reforça o compromisso do Sesc Pantanal com a preservação da biodiversidade pantaneira, a educação ambiental e o turismo ecológico e sua contribuição efetiva para a transformação da matriz econômica local”, confirma o SESC.

Por Folhamax

 
 

Sesc implanta usina solar em hotel no Pantanal (MT)

FacebookTwitterWhatsAppLinkedInCopy LinkPrintShare

Usina conta com 1.240 placas solares e pretende gerar uma economia de 60%. Foto: Reprodução

 

O SESC Pantanal, no Mato Grosso, está aderindo ao uso de energia renovável. A primeira usina solar do Pantanal foi instalada em um hotel, em comemoração aos 20 anos do empreendimento. A expectativa é que ela consiga gerar uma economia em torno de 60%, além de contribuir com meio ambiente.

A usina está abrigada no Recanto do Pescador numa área de 28.650 metros quadrados, localizada em Poconé. Planejado em plataforma suspensa ante o regime das cheias na região, o projeto de sistema de geração fotovoltaica consiste em um importante marco de sustentabilidade. A usina abastecerá um dos principais pontos turísticos mato-grossenses, o Hotel Sesc Porto Cercado. Christiane Caetano Rodrigues, supervisora do SESC Pantanal reforça a importância da sustentabilidade e da preocupação com meio ambiente.

“A usina vai gerar energia, a energia vai ser jogada na rede da Energisa e deve vir como desconto na nossa conta. Ela vai gerar 320 Kva (quilovoltampere), o nosso consumo hoje é em torno de 500 Kva, isso significa uma economia em 60% do consumo” – Christiane Rodrigues, Supervisora do SESC Pantanal.

Christiane explica que o hotel já utiliza energia para aquecimento da água do chuveiro e nos postos de proteção ambiental na reserva. “Ter uma usina é inovador e com a quantidade de energia que gera. Estamos numa região com muito sol e a utilização da energia solar é sustentável”, frisa.

A usina conta com 1.240 placas que juntas tem capacidade instalada de 300 kW/h e produção mensal de 49.500 kW/h, equivale ao consumo de 309 famílias de até quatro pessoas no decorrer de um mês. A ideia é que o hotel se torne modelo para o turismo sustentável, pois sua gestão contribui de diversas maneiras à sustentabilidade ambiental. Além do uso da energia renovável, a unidade também faz o tratamento de água, esgoto e resíduos sólidos, compostagem do lixo orgânico, que vira adubo e é utilizado na horta cultivada dentro das dependências do hotel.

O projeto teve início em 2016 e toda implantação da usina é licenciada pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente (SEMA).

O cuidado com a preservação do bioma pantaneiro resultou num Relatório Ambiental Simplificado (RAS) e deste documento foi estratificado o Plano de Controle Ambiental (PCA) da usina fotovoltaica, que inclui quatro programas ambientais visando mitigar impactos causados pelo empreendimento. Sesc Pantanal é considerado polo de referência socioambiental capitaneado pela Reserva Particular de Patrimônio Natural (RPPN), com seus 108 mil hectares de área preservada.

“O Plano de Controle Ambiental reforça o compromisso do Sesc Pantanal com a preservação da biodiversidade pantaneira, a educação ambiental e o turismo ecológico e sua contribuição efetiva para a transformação da matriz econômica local”, confirma o SESC.

Por Folhamax

Categorias: Energia.
 

Leia também