logo_smart
iconefaceiconeutubeinonelinkedin iconeflickr
 
 
 
Categorias: Cidades colaborativas e sustentáveis.

O segundo dia do Smart City Business America Congress & Expo 2017 prosseguiu com a agenda de debates, reuniões e eventos de relacionamento. Temas como mobilidade, TIC e telecom foram expandidos em mesas de especialistas, atraindo a atenção da plateia. Veja os principais destaques da terça-feira:

Café da manhã Felsberg

Deputados, prefeitos e autoridades participaram do Café da Manhã Felsberg Advogados, abrindo o segundo dia de evento do Smart City Business Congress & Expo. O deputado federal Vitor Lippi (PMDB/SP) abriu a fala citando as melhorias que podem ser realizadas para uma economia em massa de energia em smart cities. “As redes precisam ser licitadas para serem não apenas cuidadas mas também para serem transformadas em um sistema inteligente”, ressaltou.

Mobilidade elétrica

Existe a expectativa de que maioria da frota mundial de veículos seja movida à eletricidade até 2030. Como estamos nos preparando para que isso aconteça? Essa foi a questão levantada no painel sobre “Matriz Energética para o Futuro da Mobilidade Urbana”, do Smart City Business America 2017.

Segundo um estudo da Universidade Tecnológica do Paraná (UTFPR), veículos elétricos puros devem ser ocupar de cerca de 75% da fatia do mercado nos próximos anos. “Os benefícios são múltiplos: como a qualidade de ar, redução na emissão de gases e conforto dos veículos, além da redução de ruídos”, enumera as vantagens Henrique Miranda, gerente de projetos de marketing da BMW Group.  A BMW aposta em veículos elétricos compartilhados, num futuro próximo, sem a necessidade da transição do movido à combustível para o híbrido.

Receitas municipais

A discussão do painel 20, sobre a possível aliança entre poder público e privado e seus desafios, reuniu prefeitos e representantes de algumas cidades do Brasil e também CEOs de empresas, inclusive da chinesa ZTE.

Durante o painel, Felicio Ramuth, prefeito de São José dos Campos, contou que a cidade tem feito grandes investimentos na área de tecnologia com a construção de um parque tecnológico. Ele relata também que com a aplicação de recursos tecnológicos muitas vezes se evitam gastos e até mesmo a receita do município aumenta. Como uma das primeiras a regulamentar aplicativos de transporte como o Uber, São José hoje acompanha uma evolução do mercado, mas prefeito lamenta que os marcos legais estejam ficando para trás. Ainda que defenda a constante evolução da tecnologia, para Ramuth as cidades brasileiras ainda precisam do básico, como água encanada e saneamento, e não tanto de revoluções tecnológicas.

Arranjos produtivos locais

Com a mediação de Gabriela Maretto, Coordenadora-Geral de APLs no MDIC – Ministério da Indústrica, Comércio Exterior e Serviços, o painel 27 da Smart City Business abordou o tema de Arranjos Produtivos Locais como desenvolvimento em cidades inteligentes e crescimento dos municípios e para trazer benfeitorias para a população.

Diversas institutos e parques tecnológicos estão sendo criados para incentivar o pensamento em conjunto para cidades inteligente Segundo Carlos Frees, Líder de projeto da ABDI – Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial, “a capacidade de entender sobre arranjos produtivos depende de cada município”. Para isso os municípios precisam repensar como prover serviços básicos para a população e ser sustentável com ele.

O caso de Amsterdã

Dividida em duas palestras, a plenária 3 contou com a presença de 2 palestrantes de Amsterdam, que relataram sobre suas experiências envolvendo Smart Cities e seus projetos de desenvolvimento. Arjan Van Timmeren, da TU Delft, disse que começaram uma parceria entre público e privado 3 anos atrás e tentaram desenvolver as cidades inteligentes da mesma forma que as cidades convencionais.

Desafio das Startups – fase final

Nesta terça-feira (23) foi realizada na Expo Unimed a Final do Desafio de Startups do Smart City Business Solution 2017. Trata-se de uma competição entre empreendedores com o interesse em gerar negócios lucrativos vinculados à novas startups ou startups em desenvolvimento, com foco em soluções para smart cities. O desafio final correspondeu à terceira fase do desafio.

Ao final foram premiadas na categoria Operação a Laura Networks, Zumpy e CittaMobi, respectivamente em terceiro, segundo e primeiro lugares. Na categoria pré-operação os felizardos foram, do terceiro ao primeiro lugar, a Sii Smart Buildings, a Guepardo Sistemas e a OnBoard Mobility. O painel foi mediado por Ronaldo Cavalheri, diretor geral do Centro Europeu, um dos patrocinadores do evento.

 
 

Veja os destaques do segundo dia do SCBAC&E 2017

O segundo dia do Smart City Business America Congress & Expo 2017 prosseguiu com a agenda de debates, reuniões e eventos de relacionamento. Temas como mobilidade, TIC e telecom foram expandidos em mesas de especialistas, atraindo a atenção da plateia. Veja os principais destaques da terça-feira:

Café da manhã Felsberg

Deputados, prefeitos e autoridades participaram do Café da Manhã Felsberg Advogados, abrindo o segundo dia de evento do Smart City Business Congress & Expo. O deputado federal Vitor Lippi (PMDB/SP) abriu a fala citando as melhorias que podem ser realizadas para uma economia em massa de energia em smart cities. “As redes precisam ser licitadas para serem não apenas cuidadas mas também para serem transformadas em um sistema inteligente”, ressaltou.

Mobilidade elétrica

Existe a expectativa de que maioria da frota mundial de veículos seja movida à eletricidade até 2030. Como estamos nos preparando para que isso aconteça? Essa foi a questão levantada no painel sobre “Matriz Energética para o Futuro da Mobilidade Urbana”, do Smart City Business America 2017.

Segundo um estudo da Universidade Tecnológica do Paraná (UTFPR), veículos elétricos puros devem ser ocupar de cerca de 75% da fatia do mercado nos próximos anos. “Os benefícios são múltiplos: como a qualidade de ar, redução na emissão de gases e conforto dos veículos, além da redução de ruídos”, enumera as vantagens Henrique Miranda, gerente de projetos de marketing da BMW Group.  A BMW aposta em veículos elétricos compartilhados, num futuro próximo, sem a necessidade da transição do movido à combustível para o híbrido.

Receitas municipais

A discussão do painel 20, sobre a possível aliança entre poder público e privado e seus desafios, reuniu prefeitos e representantes de algumas cidades do Brasil e também CEOs de empresas, inclusive da chinesa ZTE.

Durante o painel, Felicio Ramuth, prefeito de São José dos Campos, contou que a cidade tem feito grandes investimentos na área de tecnologia com a construção de um parque tecnológico. Ele relata também que com a aplicação de recursos tecnológicos muitas vezes se evitam gastos e até mesmo a receita do município aumenta. Como uma das primeiras a regulamentar aplicativos de transporte como o Uber, São José hoje acompanha uma evolução do mercado, mas prefeito lamenta que os marcos legais estejam ficando para trás. Ainda que defenda a constante evolução da tecnologia, para Ramuth as cidades brasileiras ainda precisam do básico, como água encanada e saneamento, e não tanto de revoluções tecnológicas.

Arranjos produtivos locais

Com a mediação de Gabriela Maretto, Coordenadora-Geral de APLs no MDIC – Ministério da Indústrica, Comércio Exterior e Serviços, o painel 27 da Smart City Business abordou o tema de Arranjos Produtivos Locais como desenvolvimento em cidades inteligentes e crescimento dos municípios e para trazer benfeitorias para a população.

Diversas institutos e parques tecnológicos estão sendo criados para incentivar o pensamento em conjunto para cidades inteligente Segundo Carlos Frees, Líder de projeto da ABDI – Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial, “a capacidade de entender sobre arranjos produtivos depende de cada município”. Para isso os municípios precisam repensar como prover serviços básicos para a população e ser sustentável com ele.

O caso de Amsterdã

Dividida em duas palestras, a plenária 3 contou com a presença de 2 palestrantes de Amsterdam, que relataram sobre suas experiências envolvendo Smart Cities e seus projetos de desenvolvimento. Arjan Van Timmeren, da TU Delft, disse que começaram uma parceria entre público e privado 3 anos atrás e tentaram desenvolver as cidades inteligentes da mesma forma que as cidades convencionais.

Desafio das Startups – fase final

Nesta terça-feira (23) foi realizada na Expo Unimed a Final do Desafio de Startups do Smart City Business Solution 2017. Trata-se de uma competição entre empreendedores com o interesse em gerar negócios lucrativos vinculados à novas startups ou startups em desenvolvimento, com foco em soluções para smart cities. O desafio final correspondeu à terceira fase do desafio.

Ao final foram premiadas na categoria Operação a Laura Networks, Zumpy e CittaMobi, respectivamente em terceiro, segundo e primeiro lugares. Na categoria pré-operação os felizardos foram, do terceiro ao primeiro lugar, a Sii Smart Buildings, a Guepardo Sistemas e a OnBoard Mobility. O painel foi mediado por Ronaldo Cavalheri, diretor geral do Centro Europeu, um dos patrocinadores do evento.

Categorias: Cidades colaborativas e sustentáveis.
 

Leia também